Como lidar com o medo do fracasso

Como lidar com o medo do fracasso?

Você tem medo de fracassar?

Eu tenho. Muito.

Nesse artigo, eu vou te mostrar uma coisa que é muito importante para seu sucesso.

Como lidar com o medo do fracasso.

Sabe aquele medo que bate sempre que pensamos em fazer algo diferente, algo inovador ou até algumas coisas que as pessoas acham “erradas”?

Então.

Se você quer…

  • Largar seu emprego;
  • Trocar de emprego;
  • Largar a faculdade;
  • Começar seu negócio próprio;
  • Escrever;
  • Começar um projeto novo;
  • Falar com alguém que você admira e que pode fazer algo importante por você;
  • Arriscar em qualquer coisa.
  • Inovar no seu negócio.

Ou qualquer coisa que te dê medo de fracassar, tem medo de que tudo dê errado…

Esse texto é para você e eu vou te mostrar como lidar com tudo isso.

Você tem medo?

Você tem medo

Se sim, ótimo. Eu também!

Nesse momento, enquanto escrevo esse texto (23:59 do dia 29 de janeiro) estou com muito medo de que ele saia ruim e eu tenha perdido tempo nele.

Mas sabe o que é interessante? Ter medo de fracassar é normal.

Nós temos medo do que nossas ações vão gerar no futuro.

Medo de que mais na frente, tudo dê errado.

Medo da incerteza. Medo de estar tomando a atitude errada, estar tomando a decisão errada.

Eu convivo com esse medo o tempo todo!

Quando eu decidi largar a minha “carreira” de educador físico para empreender, eu fiquei com muito medo de me arrepender e meus empreendimentos fracassarem.

Quando comecei o Fit Experts, fiquei com medo de ser criticado, de perder tempo e dinheiro e fracassar.

Quando escrevo um texto aqui para o Não Tenho Ideia, fico com medo de que ele seja ruim, de receber críticas e ninguém leia nada.

Em resumo, medo do fracasso.

O que eu faço com o medo?

O que eu faço com o medo

Vou te explicar exatamente o que eu fiz com o medo nessas 3 situações que eu falei acima:

Case da “carreira” de educador físico

Eu fiquei 4 anos na faculdade de Educação Física. Meu pai pagava todas as mensalidades (em torno de R$600 por mês, uns R$28.000 no total). Mais ou menos na metade eu já sentia que aquilo não era para mim, eu queria sair, já estava inclinado a abrir um negócio próprio.

Mas eu pensava: Vou fazer o que? Vou ficar dependendo do meu pai até meu negócio dar certo? E se não der certo? Medo o tempo todo de novo…

Me formei e abandonei a carreira para me dedicar a meus negócios. Até hoje bate um medo de que as coisas fiquem feias e eu precise voltar para lá.

Mas até agora estou longe disso. Como? Estou trabalhando com força total nos meus projetos. O medo continua aqui, mas eu o coloco de lado com a ação.

Case do Fit Experts

Eu tive uma ideia de criar esse projeto e chamei um amigo para criar comigo. No meio do caminho, tive medo de ser criticado pelos profissionais “tops” do mercado, tive medo de perder dinheiro desenvolvendo o projeto (uns R$4.000), tive medo de que o projeto desse errado.

O que eu fiz? Fiz mesmo assim. Atropelei e ignorei o medo. Meio que aprendi a viver com ele.

Fui criticado? Sim. Bastante.

Perdi dinheiro? Não!

O projeto deu errado? Não! Deu muito certo.

E o medo? Continuou lá o tempo todo, mas eu agi, atropelei ele.

Engraçado. Quando eu lembro da época de lançamento do Fit Experts, eu tinha tanto medo que pensei várias vezes em desistir, dormia pouco e mal, ficava mal humorado… Mas passou e não deu nada errado. 🙂

Case do Não Tenho Ideia

Sim. O Não Tenho Ideia me dá medo… Eu me comprometo a escrever o melhor conteúdo. Escrever por si só dá muito medo.

Mas, além disso, existe o medo da crítica, das pessoas falando que eu devo parar de escrever, que o site é ruim e isso e aquilo.

O que eu faço? Ignoro. Continuo escrevendo. Até agora não recebi nenhuma crítica, mas se receber, tudo bem!

Um outro medo que eu tenho é de que ninguém leia os meus textos. No começo ninguém estava lendo mesmo. Mas todo mundo precisa começar de algum lugar. Hoje eu tenho pessoas que confiam em mim.

Encarei o medo, de novo, ao me dedicar a escrever aqui para você.

Então…

Reparou que em todos os casos eu fiz praticamente a mesma coisa?

Encarei o medo.

O medo não vai embora.

Ele está sempre do meu lado. Mas eu o supero com ação.

E esse é meu conselho para você. Deu medo? Faça.

A ação vai matar o seu medo antes que o seu medo mate você e seu sonho.

5 simples passos para lidar com o medo do fracasso

5 passos para lidar com o medo do fracasso

Se ele não estivesse disposto a estar errado, ele não seria capaz de acertar tantas outras vezes.
Seth Godin, em seu livro “Tribos”

Passo 1

Aceite que fracassar é possível a todo o momento.

Clareza é uma coisa boa para você, pois no momento que você entende que você pode fracassar, você vai se preparar para o caso de isso acontecer.

Por exemplo: Quando larguei meu emprego como educador físico, eu guardei dinheiro de reserva para 8 meses, caso não ganhasse 1 centavo com meus negócios.

Nada é tão ruim quanto pode parecer na sua cabeça e a maioria dos problemas são resolvidos com mais simplicidade do que você pensa.

Não foque no problema. Foque na solução.

Passo 2

Encontre bons mentores. Com eles, você vai absorver anos de aprendizado em pouquíssimo tempo. Isso vai te dar coragem.

Em caso de não ter bons mentores, tenha heróis. Eles vão te inspirar e serão seu exemplo.

Encontre seus protetores. Esses são aqueles que estarão do seu lado te apoiando incondicionalmente. No meu caso, tive e tenho minha namorada e mais algumas pessoas. Você com certeza tem pessoas assim.

Eles vão te apoiar e te dar suporte para agir diante do medo do fracasso. São aquelas pessoas que vão dizer para você: “VAI!”

Passo 3

Abra sua mente e seu coração para aprender com seus erros. Esteja preparado para absorver o máximo do aprendizado e não fique chorando por aí quando bater de cara com o fracasso.

Meu primeiro empreendimento não foi um sucesso (longe disso), mas eu aprendi muito com ele. Aprendi tanto com meus erros, que escrevo no Não Tenho Ideia para que você não passe pelo que eu passei.

Continue sempre aprendendo…

Fracasso não é fracasso. É uma lição e um feedback.
Lewis Howes

Passo 4

Coloque seus projetos e planos em ação.

Faça com carinho e atenção. Trabalhe duro.

Trabalhe. Trabalhe. Trabalhe.

Passo 5

Comemore em caso de vitória.

Em caso de novo fracasso, volte ao passo 1 e refaça o processo todo.

Esse é o processo que eu utilizo. Aprendi na marra, não inventei nada disso. Minha obrigação é compartilhar isso com você.

Você quer se arrepender?

voce quer se arrepender?

O que você prefere? Medo de fracassar ou se arrepender?

Quando eu pensei em começar o Não Tenho Ideia eu tive muito medo de que tudo desse errado, medo de fracassar e ter que voltar para aquela vida que eu não gostava como educador físico.

Mas eu tinha que tentar. Se não desse certo? Beleza, eu tentaria de novo, daria um jeito ou sei lá.

Mas o que eu não podia fazer era me arrepender de não ter tentado.

Já desisti de muita coisa e me arrependi depois. Mas dessa vez não. Tentei e consegui.

Aí eu te pergunto:

Você vai tentar mesmo com medo?
Ou vai se arrepender depois?

Quantas histórias nós ouvimos de pessoas que tiveram uma ideia, mas não a colocaram em prática e anos depois viram alguém fazendo e falaram: “Nossa, eu já pensei em fazer isso!”

Mas não fizeram… E deixaram muita coisa para trás.

Pela última vez, não se arrependa. Tente.

Tenta. Fracassa. Não importa. Tente outra vez.
Samuel Beckett

Quando bater o medo, quando bater a incerteza e quando bater a dúvida o que você vai fazer?

AGIR! 🙂

Meus 3 últimos conselhos para você…

Por fim, quero deixar 3 conselhos para você.

Conselho 1 – Veja esse vídeo de um grande empreendedor brasileiro, o Erico Rocha.

Ele fala sobre o que cura o medo de verdade. Acho que você vai entender facilmente. Além disso, ele fala a outra coisa que cura o medo, mas que você não deve fazer… Fantástico.

Conselho 2 – Um vídeo do meu amigo Pedro Céu do CoCriativo sobre o trollador interno e o “eu não sou bom o bastante”.

O Pedro é um cara fantástico e esse vídeo fala sobre um problema que agrava o medo do fracasso. Eu me pego pensando que não sou bom o bastante o tempo todo. Isso já me paralisou, mas não mais.

Eu sou bom o bastante. Você também é. Acredite.

Conselho 3 – Um livro que mudou meu jeito de ver as coisas e também ajudou a escrever esse artigo.

Lidando com a Incerteza – Jonathan Fields

Ele abriu mão de uma remuneração de seis dígitos como advogado para ganhar US$ 12 por hora como personal trainer. Na época, casado e com um filho de 3 meses, assinou um contrato para abrir um centro de yoga em Nova York… um dia antes do 11 de setembro.

Imagina o medo de fracassar que ele sentiu? Hoje é um empreendedor muito bem sucedido.

Um dos melhores e mais inspiradores livros da minha prateleira.

E agora?

Quero saber o que você vai fazer depois de ler esse texto…

Vai agir ou vai continuar parado?

Aproveita e deixa seu comentário aqui embaixo e compartilha com seus amigos que possam gostar do artigo também.

Afinal, você vai ajudar eles e vou ficar feliz de ver meu trabalho ajudando outras pessoas, superando mais um medo que eu tenho de chamar a atenção e ser criticado.

Bom trabalho, boa sorte e não se arrependa.

Aja!

Grande abraço.
Leo Alvarenga.

Se você curtiu isso, compartilha aí! =)

  • Marlo Rivera

    Aqui vai a primeira crítica! Texto sensacional! rsrsrs até porque nem todas as críticas são destrutivas….. Continue na pegada!!!

    • eheheh Valeu, Marlo!

      Obrigado! Tem razão… Existem críticas boas! 🙂

  • Lili Ana

    Valeu, Leo!

  • Janete Barbosa

    Gostei, é preciso ouvir/ler para acreditar que todos tem medo, e é possível conviver com o medo e continuar tentando, fazendo, vivendo…
    Obrigada pelas dicas e sugestões.

    • Oi, Janete!

      Muito obrigado pelo feedback! E sim, todo mundo tem medo! Até as pessoas mais incríveis… ehehe

      Vai enfrentar os seus?

      Beijão!

  • ArlindoArmando

    Léo, artigo fantástico! 🙂

    Vim aqui pra dar uma contribuída. Espero que ajude quem mais ler esse comentário…

    Ao ler seu artigo fica extremamente claro o que combate o medo: A ação consciente e direcionada para um objetivo específico.

    Outra coisa, só erra quem faz. Ou seja, sempre cometeremos erros pelo caminho, a questão aqui é como olhamos para ele. Quando erramos, nos sentimos mal, comunicamos uma fisiologia congruente com esses sentimentos ruins. E se deixarmos por isso mesmo, a mensagem que é enviada para o cérebro é: Errar me faz mal, me faz me sentir mal, não quero mais isso!

    E como é normal, nosso cérebro, muitas vezes inconscientemente, faz com que nós fiquemos longe da dor. Sendo assim, sempre que existir uma situação de risco, tenderemos a fugir dela para não correr o risco de errar.

    Como resolver isso?

    Sempre que você cometer o erro, siga esses 3 passos:

    1. Olhe para o erro e entenda exatamente o que aconteceu. Qual foi o erro? Quanto isso afetou no projeto ou situação? Qual foi a sua parcela de culpa (sinceramente!)?
    2. Assuma a responsabilidade pelo erro. Se você errou, assuma. Quando você assumi que errou, você abre espaço para que exista um aprendizado.
    3. Agora, olha para esse erro e identifique pelo menos 3 coisas que você errou e que vai concertar da próxima vez. Fale essas coisas em voz alta para que seu cérebro possa computar isso da melhor maneira possível.

    Fazendo isso, logo após o erro, ao invés de mandar aquela mensagem nada agradável, vai mandar uma mensagem muito mais tranquilo e até gostosa de receber por parte do cérebro. Afinal, nesse segundo caso, você alinhou ERRAR com APRENDER, e o ser humano naturalmente adora aprender.

    Léo, novamente, artigo inspirador!

    Espero também que minha contribuição possa enriquecer o conteúdo…. ainda mais!

    Abraços, Arlindo Armando

    • Arlindo,

      Como sempre, você foi incrível! Comentário fantástico e que agrega muito!

      Nós precisamos estar dispostos a errar para estarmos dispostos a acertar. Isso vai virar um novo artigo! ehehe

      Abraço!

    • Luciana

      Adorei!! Muito bom bom e encorajador!

      • Obrigado, Luciana!

        Fico feliz com isso! Era meu objetivo! 🙂

        Beijão!

    • Tânia Maniero

      Parabéns Arlindo e obrigada pela contribuição. Buena vibra ;D

  • Tania Maniero

    Há pouco mais de vinte anos quando conheci meu marido, aprendi que Desenvolvimento Pessoal é o Caminho. Desde então me esforço imensamente para melhorar em todos os aspectos e fico feliz em perceber que finalmente a ficha tem caído para várias pessoas nesse aspecto. Por esta razão apreciei muito seu artigo. Além disso com a expansão da internet, hoje qualquer um pode ter um blog. Vejo iniciativas positivas de pessoas bem intencionadas, entretando a má formação acadêmica dessas pessoas depara-nos com textos que afrontam a ortografia e a gramática. Reconheço que isto é resultado do nível de ensino no país mas quem quer aprender vai atrás. E se alguém se propõe a escrever deve no mínimo saber o portugués básico, nem estou considerando técnicas de produção de texto. O que encontrei eu seu site foram textos de qualidade, bem escritos, de acordo com a norma culta e os seus colaboradores foram excelentes. A despeito do tom descontraído de todos, percebe-se bastante seriedade e ainda que usando gírias, falam corretamente. Compartilhei no Facebook, no Google+ e estou deixando meu email p/ receber atualizações, sua competência merece. Parabéns pelo seu trabalho, pelo tema do blog, pelo tema deste post e continue brindando as pessoas com a sua visão. Muito obrigada Leonardo 😀

    • Oi, Tania!

      MUITO obrigado mesmo! Por esse tipo de comentário que eu faço o que faço! Quero compartilhar coisa boa por aqui e ajudar as pessoas. Acredito que esse seja o caminho! 🙂

      Pode se preparar que vem muito mais por aí!

      Obrigado! Beijão!

  • Adilson Verbulez

    De tanto que as coisas já deram errado sempre da mesma forma, hoje em dia eu prefiro evitar riscos, faço o que precisa ser feito sem inventar muito.

    • Adilson,

      já pensou em fazer as coisas diferentes? Você falou que elas deram errado da mesma forma. Avalia e vê o que está sendo feito errado…

      Evitar riscos pode ser um grande risco, pois você evita oportunidades.

  • Cecilia

    Oi, Leo!
    Acabei de conhecer o seu site e este foi o primeiro artigo que li.
    Gostei muito, valeu!! Eu quero começar a escrever, mas sempre fico pensando que não sou expert em nenhum assunto e por isso não tenho o direito de escrever sobre eles.
    Vc acabou de me mostrar que se fizermos com carinho e dedicação dá certo! Obrigada e sucesso!

    • Oi, Cecilia!

      Obrigado!! Seja a especialista que você já é!!! =)

      Beijão!

  • Pingback: Qual é a sua natureza? - Não Tenho Ideia()

  • Pingback: 1 ano é suficiente para você mudar sua vida! - Não Tenho Ideia()

  • Giselle

    Muito bom texto. Limpo, claro e objetivo. Me ajudou bastante. Continue escrevendo.
    Abraço.

    • Que legal, Giselle!

      Obrigado pelo apoio!! Tamo junto!

  • Aline Damásio

    Abri meu próprio negócio depois de ser despedida, ele foi bem no começo mas agora está estagnado. Acho que estou com medo de continuar e medo também de recomeçar em outra área. Seu texto deu um fôlego para entender melhor este momento. Muito bom!

    • Oi, Aline!

      Não tem problema nenhum em recomeçar… Mas avalia se esse platô não pode ser quebrado. Talvez sejam alguns pontos específicos em que você tá falhando, e quando corrigir isso, as coisas voltam a andar.

      Avalia com calma e deixa o coração de lado. Usa a razão.

      Beijão!! 🙂

  • Jéssica Moreira

    Léo, meu querido amigo… Eu ainda não tinha lido esse seu texto, e hoje, era exatamente o que eu precisava ler! Desejo sucesso e felicidade na sua caminhada para que continue nos ajudando… Beijo grande!

  • Jéssica Monteiro

    Léo, era tuuuudo que eu precisava ler! Comecei meu blog e tenho os mesmos medos citados… e como é dificil desfazer deles! Obrigado pelas dicas!!!

    • Oi, Jéssica!!

      Eu sei que é difícil… Mas segue as dicas que vai dar tudo certo.

      Um blog te expõe, mas ao mesmo tempo traz MUITAS possibilidades. Pensa nisso!

      beijão!

  • Ednilson Araujo

    Oi Léo. Curti muito seu jeito de escrever. Parece que você está do meu lado conversando comigo. Muito Legal. Por outro lado … o meu medo do fracasso me atormenta demais. Me paralisa. às vezes largo as coisas que tenho que fazer por medo de fracassar e ai fracasso. O s clientes começam a cobrar e eu nem quero atender o telefone mais. Não quero enganar ninguém. Não quero tirar vantagem de ninguém mas o medo me paralisa. Entendo tudo que você diz.Tudo faz sentido, mas na hora de colocar em prática eu não consigo. É difícil viver do outro lado do sucesso. Do lado que só tem angústia medo e ansiedade. Do lado onde as coisas não funcionam. Onde os sonhos não se realizam. Onde só há pesadelos. Sei que estou pesando um pouco na tinta mas minha vida atual não está tão distante do que eu contei. Sonho com o dia que tudo isso passe, mas não tenho feito coisas significativas para mudar.

    • Obrigado, Ednilson!

      “às vezes largo as coisas que tenho que fazer por medo de fracassar e ai fracasso.” Você parece não ter outra opção a não ser não largar as coisas… O risco pra você de não fazer nada é MUITO grande.

      Basicamente, começa a pensar com você mesmo em tudo de ruim que vai acontecer se você largar. Funciona! =)